alienacao-parental1476823980

No último texto falei sobre o que quem está sendo impedido de ver o filho pode fazer (clique AQUI para acessar). Continuando com o tema de conflitos entre genitores, vamos entrar um pouco mais no assunto, falando mais especificamente do S. A. P. (Síndrome de Alienação Parental).

Para dar início, cabe conceituar a Alienação Parental:

Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner em 1985 para a situação em que a mãe ou o pai de uma criança a treina pararomper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro genitor.[1]

Devemos entender a síndrome como a programação de uma criança por um dos genitores, para que passe a enxergar o outro de maneira negativa, nutrindo sentimentos de ódio e rejeição por ele, e externando tais sentimentos.

As desavenças entre o casal, de forma sutil ou não, acabam refletindo na criança ou adolescente. O que não deveria ocorrer. A frase “Pai e Mãe é pra sempre” é precisa nesse caso. Deve o casal saber separar a relação amorosa da relação de afeto com o filho, priorizando o bem estar da criança.

A seguir vamos tratar de três pontos para podermos identificar a prática da Alienação, saber se a criança está sendo afetada e também modos de parar com essa prática.

O que o Alienante faz?

·       Exclui o outro genitor da vida dos filhos.

·       Interfere nas visitas

·       Denigre a imagem do outro genitor

·       Ataca a relação entre o filho e o outro genitor

Algumas frases certamente serão familiares, e até mesmo já pode ter acontecido com você:

“Seu pai não presta. O que você quer saber dele?”

“Viu o valor que ele dá a você?”

“Agora ele tem outra família, não vai se interessar mais em você”

“Aqui dentro de casa teu pai não entra mais.”

“Teu pai vai te ver quando eu deixar!”

Familiar, não? A Alienação Parental está mais presente no nosso meio do que imaginamos.

Quais os sintomas da Alienação?

·       A criança se recusa a dar atenção ao outro Genitor, negando-lhe um simples carinho ou mesmo sair para passear;

·       Tem sentimentos como indiferença, ódio e raiva ao outro Genitor;

·       Baixa auto-estima.

O que fazer para parar?

Esse artigo possui como maior propósito levar informação e instigar as pessoas a compreenderem a gravidade da questão e consequentemente, buscar uma solução, assim:

·       Como responsável da criança ou adolescente, o recomendável é primeiramente se informar e identificar o problema.

·       Tente também manter um diálogo com seu filho, buscando entender seus anseios e desejos.

·       O proteja das discussões do casal.

·       Busque auxílio psicológico.

·       Busque auxílio jurídico.

A Alienação Parental é um assunto muito delicado e que merece inteira atenção por parte da sociedade. Seja em casa, com os pais tendo a consciência que o filho não pode ser usado como objeto em uma disputa do casal, seja no ambiente externo, com a presença de profissionais das mais variadas áreas buscando informar e conscientizar da importância de inibir tal prática.

 

 

fonte: http://leonardopetro.jusbrasil.com.br/artigos/395920034/atencao-voce-pode-estar-praticando-alienacao-parental?utm_campaign=newsletter-daily_20161021_4232&utm_medium=email&utm_source=newsletter